Clima Center Ar-Condicionado

Itens que aumentam a produtividade e segurança na operação

Itens que aumentam a produtividade e segurança na operaçãoMatéria da Clima Center publicada na Revista M&T Manutenção e Tecnologia, número 145, de Maio de 2011, páginas 64 e 65.

Cabines fechadas, dotadas de ar condicionado e um cuidadoso projeto ergonômico, reduzem os esforços do operador com reflexo na sua saúde e produtividade

Os equipamentos dotados de cabines fechadas, com proteção contra tombamento e queda de pedras (ROPS/FOPS), cujos modelos ainda incorporam um detalhado projeto ergonômico, ar condicionado e outros acessórios como itens de série, começam a se popularizar no mercado. Antes consideradas artigos de luxo, tais características recebem cada vez mais atenção por parte dos principais fabricantes do setor, que atuam com foco no menor desgaste físico do operador e na sua maior produtividade.

Para os fabricantes que investem nesses itens, eles também podem representar um diferencial competitivo junto ao cliente, já que grandes contratantes do mercado, entre eles a Petrobras e a mineradora Vale, vetam a utilização de equipamentos com cabine aberta em suas operações. Além do foco na maior produtividade da operação, os contratantes adotam essa medida em função da saúde e segurança no trabalho.

Nesse contexto, a Komatsu já equipa toda a sua linha de tratores de esteiras, motoniveladoras, escavadeiras hidráulicas e carregadeiras de rodas com cabines fechadas, refrigeradas e projetadas ergonomicamente. “Os modelos ainda incorporam vários acessórios como itens de série, com destaque para o cinto de segurança, o suporte para primeiros socorros, limpadores de para-brisa dianteiro e traseiro, espelho retrovisor, vidros laterais deslizantes, assento com suspensão pneumática e coxins anti-vibração, entre outros”, afirma Paulo Jauhar, gerente de vendas da Komatsu.

Segundo ele, o equipamento com cabine aberta expõe o operador a uma série de intempéries e agressões relacionadas às condições de trabalho, como calor excessivo, chuva, contato com poeira, altos níveis de ruído e ataque de insetos, entre outros. O desprezo à ergonomia também pode ocasionar doenças relacionadas a falhas de postura, esforços exacerbados e movimentos repetitivos. “Com isso, ao final do expediente o operador se encontra demasiadamente cansado e estressado”, diz Jauhar. “Além disso, há o risco inerente dele contrair doenças respiratórias e auditivas, sem contar os problemas de coluna, as dores nos braços, pernas ou região lombar”, ele completa.

Ganhos com a refrigeração

O advento do ar condicionado nas cabines fechadas é um aliado a mais na busca pela maior produtividade nos canteiros de obras. Para Rafael Barbosa, gerente comercial da Clima Center, que atua na instalação, manutenção e venda de peças para ar condicionado, os cuidados com esse sistema contribuem para a maior qualidade e produtividade da operação. “Nesse caso, os operadores desempenham suas atividades com mais dedicação e disposição, reduzindo as manutenções e preservando os sistemas eletrônicos, que, hoje, controlam a maioria dos equipamentos”, diz ele.

O especialista aproveita a ocasião para explicar a diferença entre ar condicionado e climatizador. Segundo ele, enquanto o primeiro caso se caracteriza pela oferta de ar quente e frio, com a regulagem da temperatura no ponto ideal, o segundo é um sistema que proporciona apenas uma queda na temperatura na cabine, geralmente em torno de 5ºC. “O climatizador em equipamentos fora-de-estrada é apenas um paliativo para empresas que não estão dispostas a arcar com o custo de um sistema de ar condicionado, que, dependendo das características, pode chegar a R$ 40 mil”, afirma Barbosa.

Segundo ele, o sistema de ar condicionado, cuja demanda é maior em caminhões fora-de-estrada, tratores de esteiras, escavadeiras e máquinas aplicadas em colheita florestal, se consolida cada vez mais como um item de série. Ele diz que o sistema pode ser instalado em qualquer equipamento fora-de-estrada, mas faz algumas ressalvas. “A máquina deve oferecer um espaço suficiente para a instalação e a cabine precisa ser bem isolada e vedada, proporcionando um bom rendimento ao sistema.”

O especialista ainda ressalta que a localização na máquina e o tipo de ar condicionado variam de acordo com as necessidades do cliente. A caixa evaporadora, por exemplo, pode ser alojada na parte externa ou interna do equipamento e seu acionamento é realizado por um compressor movimentado pelas polias do motor ou por motor hidráulico ou elétrico. “Além disso, o ar condicionado pode ter comando digital ou analógico”, conclui Barbosa.

© 2012. Todos os direitos reservados.